Já faz muito tempo que a área de tecnologia da informação e comunicação enfrenta o estigma de ser uma área que representa apenas custo e obstáculos para as empresas ao invés de investimento em diferenciação e oportunidade de crescimento. 

Claro que algumas equipes dentro da TI já são vistas como de fundamental importância para o bom funcionamento e até a perenidade do negócio, é o caso da área de segurança da informação, que reduz os riscos associados a ataques de hackers e vírus. 

Segundo a revista digital TI Inside: “Na região da América Latina, 44% dos profissionais entrevistados apontaram o ransomware como preocupação principal em relação à segurança da informação. Na Europa, esse tema foi indicado por 28% dos pesquisados.” 

[https://tiinside.com.br/23/11/2020/evento-mostra-a-importancia-de-backup-e-recovery-para-se-evitar-prejuizos-com-ramsoware/]

Nesse caso, portanto, os profissionais de tecnologia são bem vistos como mantenedores do negócio e seu valor agregado ao core business da empresa.

Muito esforço pela frente

Entretanto essa valorização da TI não é tão frequente quanto gostaríamos, as áreas de negócio ainda tem um pé atrás com relação aos especialistas de desenvolvimento, testes, suporte, principalmente quando a direção supõe que os técnicos vão colocar empecilhos nas decisões estratégicas da empresa. Deveria ser diferente, a alta gestão enxergar na TI um forte aliado na construção e entrega dos produtos e serviços e assim a fidelização dos clientes.

Esse cenário de desconfiança e richa das áreas tem se dissipado com uma nova mentalidade dos gestores em relação ao valor que a tecnologia e inovação podem entregar para o negócio, com um investimento compatível com a solução proposta. 

A pandemia ocasionada pelo Covid-19, o novo Coronavírus, trouxe uma visibilidade positiva para a área de tecnologia: “Muitas organizações só puderam continuar seus processos através do trabalho remoto, utilizando ferramentas de reuniões por videoconferência, além de outros softwares de controle de atividades que ajudam no gerenciamento de equipes neste modelo remoto, que já vem sendo chamado de o novo normal” (Edmilson Silva, consultor de Análise e Desenvolvimento de Sistemas.)

[https://www.terra.com.br/noticias/dino/desenvolvimento-da-ti-e-uma-das-solucoes-para-superar-crise-gerada-pelo-coronavirus,c198126c0a55d0ea8916b0079168fc6apnekgme7.html]

Na mesa da diretoria

O CTO (Chief Technology Officer ou diretor técnico) deve ter uma cadeira permanente junto à cúpula de diretores, estando alinhado estratégica e operacionalmente aos rumos que a empresa deseja tomar. E sua presença não é apenas para viabilizar ou negar uma solução, mais do que isso, para dar voz às possibilidades que a tecnologia oferece de diferenciação de produtos, valor na entrega e melhoria nos fluxos de trabalho para melhor atender aos clientes. 

Um bom CTO precisa ter uma sólida base de conhecimentos, além de se manter informado e em linha com as atualizações do mercado. Ele é responsável pelas ações relacionadas à infraestrutura tecnológica da companhia. 

A função de CTO consiste em garantir que os sistemas de TI funcionem otimizada e corretamente, trabalhando para criar novos produtos e serviços para a companhia.

Ele se difere do CIO (Chief Information Officer) pois esse está mais voltado para o campo da informação, bancos de dados, sistemas de informação e capital intelectual da empresa. Ambos são importantíssimos na mesa da diretoria e mesclam sua atuação para entregar valor na tecnologia. 

Mercado em ascensão

Um estudo interessante foi feito no Paraná acerca do crescimento do emprego no ramo de serviços de TI, representando oito vezes mais que o total da economia no estado, nos doze meses anteriores. A análise considerou os anos de 2007 a 2018. Não é atoa que a demanda por profissionais cresceu: a necessidade de mais investimentos na área, profissionalização dos recursos humanos e maior atendimento às necessidades das empresas estão intrinsecamente ligados aos resultados que a TI é capaz de gerar.

[https://www.assespropr.org.br/crescimento-do-emprego-no-ramo-de-servicosde-ti-foi-oito-vezes-maior-que-o-do-total-da-economia-no-parana-nos-ultimos-doze-meses/]

O segmento de Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação da internet apresentou a maior taxa de crescimento: 34%. Em seguida, veio Suporte Técnico, Manutenção e Outros Serviços em Tecnologia da Informação (7%) e Desenvolvimento e Licenciamento de Programas de Computador Não-Customizáveis (6%). 

E então, como a TI pode entregar mais resultados dentro da minha empresa?

A área de tecnologia é parceira das demais equipes, deve portanto estar lado a lado nas decisões estratégias e também no dia a dia operacional viabilizando e otimizando as soluções propostas por meio de infraestrutura e equipamentos, conhecimento técnico e de negócio, além de uma negociação constante de ganha-ganha. 

Se você é da área de RH a TI pode otimizar os processos de recrutamento e seleção por meio de sistemas automatizados para fazer a captura e separação de formulários de interesse em vagas, além de facilitar a gestão do processo seletivo. Viabiliza também o processo de feedbacks, elevando o patamar dos resultados por meio de métricas assessoradas por sistemas.

Do ponto de vista comercial os profissionais especialistas em tecnologia propiciam o desenvolvimento de sistemas de informação que capitalizam as vendas e até promovem melhor gestão sobre funil de vendas.

O atendimento ao cliente pode ser beneficiado pela TI com sistemas CRM que fazem o correto registro e acompanhamento das interações com os clientes, mantendo assim um histórico fiel por diversos pontos de contato.

Ferramentas que vêm para agregar valor

Sistemas que visam reduzir o tempo de desenvolvimento de uma solução, tal qual a plataforma de low code da Outsystems vêm para trazer muito mais agilidade enquanto oferecem maior qualidade no produto entregue, isso sem perder a facilidade na integração com APIs e sistemas de terceiros. 

“Low-code descreve uma família de ferramentas usadas para criar aplicativos completos usando uma interface visual de arrastar e soltar em vez de escrever milhares de linhas de código complexo. Com baixo código, a TI pode colaborar com usuários de negócios para criar aplicativos de negócios modernos em tempo recorde.” [https://www.outsystems.com/low-code-platforms/]

Segundo o Gartner, recentemente em setembro de 2020, a OutSystems é uma das líderes de mercado, o que nos dá mais orgulho ainda ao falarmos que somos parceiros certificados OutSystems, especialistas em desenvolvimento low code. 

Banco Santander Consumer Portugal adota OutSystems como plataforma de transformação digital

Em 2017 o Banco Santander Consumer Portugal escolheu a plataforma OutSystems para impulsionar o seu ambicioso programa de transformação digital. O banco chegou a substituir 70% dos seus sistemas core no início de 2020.

Com uma nova arquitetura ágil de TI, o banco agora pode inovar com velocidade, lançar novos canais e soluções que encantam os clientes e aumentam a receita, com velocidade na entrega de soluções e melhor atendimento ao mercado consumidor.

“A abordagem de desenvolvimento OutSystems contribuiu muito para o sucesso do programa. Isso melhorou nossas práticas ágeis e nos ajudou a envolver os usuários de negócios de uma forma muito mais responsiva ” (Domingos Ferreira – Diretor de TI e Operações, Banco Santander Consumer Portugal).

Três foram os fatores principais para o banco escolher a OutSystems: agilidade no desenvolvimento e melhora na qualidade; plataforma baseada em padrões abertos; integração poderosa. Isso resultou em uma diminuição no tempo de desenvolvimento de soluções. Como Domingos Ferreira, Diretor de TI e Operações, afirma, “Em apenas três anos, substituímos e aprimoramos uma arquitetura de tecnologia que levamos 20 anos para desenvolver.”

E muito mais…

  • Soluções Omnichannel da simulação ao pagamento
  • Experiências digitais front-end com foco em dispositivos móveis e totalmente responsivas
  • Autenticação e assinatura de documento
  • Integração com parceiros de negócios via APIs
  • Ativos digitais compartilhados por todos os produtos, canais e parceiros
  • Estabeleceu uma arquitetura moderna e ágil que oferece suporte à inovação rápida e menor custo de manutenção.

[https://www.outsystems.com/case-studies/santander-consumer-digital-transformation/]

Categories Blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *