Eduardo Oliveira, diretor da empresa, destaca que o programa pretende atrair estudantes de diversos cursos, que queiram aprender, sejam conectados com o que se passa no Brasil e no mundo, para ajudar a empresa a inovar.

Dojo, (pronuncia-se Dojô) é uma palavra de origem japonesa e significa “local de treinamento”. Portanto, o Coding Dojo nada mais é que do um “local de treinamento de código”, ou “local de treinamento de programação”.

Coding Dojo é uma reunião torno de um desafio de programação em que as pessoas são incentivadas a participar e compartilhar suas habilidades de codificação com o público enquanto resolvem o problema. Estas reuniões levam este nome porque são inspiradas no dojos de artes marciais, no qual dois lutadores aprendem na prática enquanto os outros lutadores aprendem observando. No coding dojo ocorre mesmo, enquanto uma dupla tenta solucionar o problema na prática, os demais aprendem acompanhado a lógica utilizada.

A realização de um Coding Dojo bem sucedido depende e fortalece alguns valores em todos os profissionais envolvidos. Entre eles, podemos destacar alguns:

  • Cooperação: A solução para o problema proposto é construída com a cooperação de todos os participantes, o que cria um ambiente colaborativo;
  • Participação: Todos os participantes participam da resolução do problema, o que cria um sentimento de igualdade entre todos os envolvidos. Não existem opiniões mais “importantes”;
  • Coragem: É necessário coragem para sair da zona de conforto e enfrentar um desafio. O ambiente do Coding Dojo propicia que todos desenvolvam essa característica, trabalhando em projetos que permitem que aconteçam erros, sem estar diretamente envolvido na rotina normal de um projeto (prazo, custo, etc);
  • Respeito: Todos os participantes devem respeitar a solução proposta pelos demais, mesmo conhecendo maneiras diferentes de resolver o problema. Como o intuito é aprender, o respeito pelo tempo de cada participante é fundamental;
  • Simplicidade: O Coding Dojo serve para compartilhar conhecimentos e experiências entre os participantes. Como cada participante pode estar em um nível técnico diferente, é importante que seja mantida a simplicidade tanto no problema composto como na solução implementada, de forma que todos consigam entender exatamente o que está sendo feito.
  • Alimentação também é importante, afinal programador feliz é programador alimentado.

COMO FUNCIONA:

Um dos participantes é o piloto que comanda o desenvolvimento do código, enquanto o copiloto aponta os erros e o que pode ser melhorado. Os outros participantes não ajudam até que um teste passe ou até um pedido de ajuda. Ao final do tempo o copiloto torna-se piloto e algum membro da plateia assume o papel de copiloto. O dojo encerra-se quando o desafio é solucionado ou quando o tempo definido acaba.

Categories Blog

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *